BRB

O QUE SEPARA AQUELES QUE VENCEM DESAFIOS DAQUELES QUE FRACASSAM?


Por: Andressa Ribeiro 
Quando pensamos em realização pessoal x realização profissional, é preciso entender que não se trata de uma linha reta. As motivações para uma realização pessoal, na maioria das vezes conflitam com os objetivos profissionais. Onde quero chegar vai exigir o quanto de mim? Terei que abrir mão do que na minha vida? Por que não consegui uma promoção até agora?

Para a renomada psicóloga e professora da Escola de Medicina de Harvard, Susan David, a resposta é uma: Agilidade Emocional. Depois de estudar por mais de 20 anos as emoções e autorealização, Susan descobriu que, por mais inteligentes ou criativas que as pessoas sejam, é a maneira como lidam com seu mundo que determina o quanto serão felizes e bem-sucedidas em todas as áreas da vida.

A resposta que darei em forma de atitudes, para cada pergunta acima torna-se determinante para o atingimento dos meus objetivos, sejam eles pessoais ou profissionais.
O modelo mental ao qual fomos criados e moldados é estritamente racional, tendo este como o principal gatilho para uma realização profissional. Porém, ao longo dos anos, percebemos que, o que ganha ou perde o jogo, é nada mais nada menos do que o nosso lado emocional. Lidar coma as emoções, tem sido o grande desafio de todos os profissionais, sejam eles, líderes, técnicos ou recém-formados.

Segundo Goleman, a consciência das emoções é fator essencial para o desenvolvimento da inteligência do indivíduo. A incapacidade de lidar com as próprias emoções pode minar a experiência escolar, acabar com carreiras promissoras e destruir vidas. O fracasso e a vitória não são determinados por algum tipo de loteria genética: muitos dos circuitos cerebrais da mente humana são maleáveis e podem ser trabalhados.

Em tempos de cultura de inovação, fala-se muito em mindset fixo x mindset de crescimento. O mindset não é um mero traço de personalidade, é a explicação de porque somos otimistas ou pessimistas, bem-sucedidos ou não. Ele define nossa relação com o trabalho e com as pessoas e a maneira como educamos nossos filhos. É um fator decisivo para que todo o nosso potencial seja explorado.


Postar um comentário

0 Comentários