PRODUÇÃO DE MOTOCICLETAS CRESCE 15% EM UM ANO


foto:internet

A indústria de motocicletas registrou alta de 15,1% em sua produção de setembro, na comparação com igual período no ano passado. Durante o nono mês de 2019, foram produzidas 92.894 motocicletas, enquanto em setembro do ano passado, foram 80.687. Os dados são da Abraciclo (Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares).

De janeiro a setembro, a alta registrada foi de 7,5%, em relação a igual período no ano passado. Saíram das linhas de produção no período, 836.450 unidades contra 777.779 em 2018.
Na comparação com agosto, que contou com um dia útil a mais, houve recuo de 19% (114.738 unidades).
Oferta de crédito estimula consumo
A oferta de crédito continua a ser o principal motivo para o crescimento, segundo Marcos Fermanian, presidente da Abraciclo.
Para ele, o cenário atual da economia, aliado a taxas de juros mais atrativas, faz com que muitos consumidores troquem suas motocicletas por modelos 0 km.
O mercado ainda deve se manter aquecido nos próximos meses, de acordo com Fermanian, em função de fatores sazonais, como o pagamento do 13º salário e a chegada do verão.
Outro fator que deve influenciar, na opinião do executivo, serão os lançamentos do Salão Duas Rodas, programado para o período de 19 a 24 de novembro, no São Paulo Expo, em São Paulo (SP).
Pelas projeções atuais da Abraciclo, as fabricantes de motocicletas deverão produzir 1.100.000 unidades no presente ano, o que representa uma alta de 6,1% na comparação com o volume de 2018 (1.036.788 unidades).
Emplacamentos no país somam quase 88 mil
Em setembro, 87.719 motocicletas foram licenciadas no país, representando uma alta de 18,4% na comparação com o mesmo mês do ano passado (74.067 unidades).
O levantamento foi feito pela Abraciclo, com base nos dados do Renavam (Registro Nacional de Veículos Automotores)
Em comparação com agosto – que registrou o emplacamento de 88.625 unidades –, houve queda de 1%.
Exportações registram queda de 28,4% no ano
Em setembro foram exportadas 2.390 motocicletas, correspondendo a uma queda de 28,4% na comparação com o mesmo mês de 2018 (3.336 unidades), e de 33% em relação a agosto do presente ano (3.566 unidades).
No acumulado de janeiro a setembro, o volume exportado foi de 29.136 unidades, representando uma queda de 49% na comparação com o mesmo período de 2018 (57.131 unidades).
A Argentina foi o principal destino das motocicletas em setembro, segundo dados do portal de estatísticas de comércio exterior Comex Stat.
A empresa registra os volumes de embarques totais de cada mês.
Foram embarcadas 1.942 unidades para aquele país, o que representa 58,6% no total exportado.
Na sequência, ficaram a Colômbia (602 unidades e 18,2% de participação) e os Estados Unidos (356 e 10,7%).
Nos nove meses do ano, a Argentina também foi o país que mais comprou motocicletas fabricadas no PIM.
De janeiro a setembro foram embarcadas 14.274 unidades, o que representa 47,2% do volume total exportado.
Em seguida, vieram os Estados Unidos (5.881 unidades e 19,5% de participação), seguidos pela Colômbia (4.021 unidades e 13,3%).
Street lidera vendas no mês
A Street foi a categoria mais vendida em setembro, com 49.013 unidades e 51,4% de participação.
Na sequência, vieram a Trail (19.005 e 19,9%), Motoneta (11.998 e 12,6%), Scooter (8.716 e 9,1%) e Naked (2.066 e 2,2%).
Essas posições foram mantidas no acumulado de janeiro a setembro: Street (406.526 unidades e 49,8% de participação), Trail (163.153 unidades e 20%); Motoneta (121.941 unidades e 14,9%), Scooter (70.497 unidades e 8,6%); e Naked (18.895 unidades e 2,3%).

FONTE: R7 - SP

Postar um comentário

0 Comentários