ESTAÇÕES DO METRÔ-DF VÃO SER PALCO DE APRESENTAÇÕES DE TEATRO COM PATROCÍNIO DO BRB

A Cia Burlesca, com apoio da Companhia do Metropolitano do Distrito Federal (Metrô-DF), leva teatro gratuito para cinco estações do metrô

Com patrocínio do Banco de Brasília – BRB e apoio do Metrô-DF, o grupo de teatro brasiliense começa no próximo dia 30 de setembro o projeto “Bendita Dica no Metrô”, apresentando o espetáculo Bendita Dica na estação central no Plano Piloto, na estação Águas Claras, na estação Praça do Relógio em Taguatinga, na estação terminal de Ceilândia e na estação terminal de Samambaia, gratuitamente.

O espetáculo que já realizou mais de 110 apresentações no Distrito Federal, Goiás, São Paulo, Rio Grande do Sul e Paraíba, e venceu o Prêmio Sesc do Teatro Candango na categoria de Melhor espetáculo infantil, conta a história de Benedita Cipriano Gomes, uma líder comunitária que construiu entre as décadas de 20 e 30 na cidade goiana Lagolândia, uma comunidade baseada nos princípios da igualdade, solidariedade e coletividade.

Bendita Dica é voltado para todos os públicos, pois além das atrizes Julie Wetzel e Lyvian Sena e do ator Pedro Caroca estarem em cena, o espetáculo conta com manipulação de bonecos tanto em forma de mamulengo (técnica nordestina) como de bunrako (técnica japonesa), e também execução de trilha sonora original ao vivo pelo músico David Erik.

“Em Bendita Dica, a narrativa vai desde sua fama nos sertões atraindo cada vez mais seguidores, passando pela perseguição por parte das autoridades insatisfeitas com suas atitudes revolucionárias, evoca seu dom em conversar com anjos, e chega ao episódio conhecido como O Dia do Fogo”, comenta o diretor Mafá Nogueira.

A direção é de Mafá Nogueira, fundador do grupo que trouxe de São Paulo em 2008 seu repertório e em Brasília concebeu junto aos integrantes novos espetáculos como “A Roupa Nova do Rei”, “O Segredo”, “Quixote ao Avesso”, “A Princesa Sisuda” e “O Violinista Mosca Morta”, que já circularam em escolas públicas, teatros convencionais e alternativos, praças, feiras livres, shoppings, livrarias, hospitais, unidades de internação para jovens cumprindo medida socioeducativa, acampamentos e assentamentos de movimentos sociais, bibliotecas públicas e estações de metrô.

“Todos nossos projetos são sempre idealizados para acontecerem onde o povo está, principalmente para contribuir com a democratização do acesso a bens culturais e pra isso acontecer é fundamental que editais e financiamentos públicos continuem existindo”, afirma o ator Pedro Caroca.

Essa não é a primeira vez que a Cia Burlesca realiza apresentações teatrais nas estações do Metrô da capital. Em 2013, circulou com os espetáculos “A Roupa Nova do Rei”, “Rabequinha toca Mozart”, “Festa no Céu”, “A Mula sem Cabeça” e “A ovelha de lã dourada”, nas estações de Taguatinga, Guará, Plano Piloto e Ceilândia pelo do projeto “Estação Burlesca”, com recursos do Fundo de Apoio à Cultura do Distrito Federal.

“Acreditamos que realizar apresentação de espetáculo em espaços inusitados, como o metrô, proporciona não só um impacto sensitivo como desperta a curiosidade sobre o teatro”, diz a atriz Julie Wetzel.

A Cia Burlesca apresenta espetáculos teatrais e contações de histórias com estética cômica e satírica, suscitando reflexões sobre comportamentos caricatos da sociedade, sob a ótica do Teatro Político de Bertolt Brecht e do Teatro do Oprimido de Augusto Boal. O diferencial do grupo é a pesquisa apurada na narrativa, na dialética e na musicalidade, aprimorando sempre o trabalho do ator que resulta em espetáculos atentos à sensibilidade e às várias inteligências do público. O repertório é inspirado em diversos aspectos da cultura popular, e aborda questões sobre os processos de exclusão, dando voz às minorias e aos oprimidos.

“A companhia está sempre em busca de um diálogo constante com o público. Construir cenas que conversem com a realidade do povo é ponto central do trabalho do grupo”, completa a atriz Lyvian Sena.
Serviço
Apresentações
Estação Central: 29 de setembro, às 17h
Estação Águas Claras: 21 de outubro, com sessões duplas às 13h e 17h
Estação Praça do Relógio: 25 de novembro, com sessões duplas às 13h e 17h
Estação Terminal Samamabia: 02 de dezembro, com sessões duplas às 13h e 17h
Estação Terminal Ceilândia: 16 de dezembro, com sessões duplas às 13h e 17h

Postar um comentário

0 Comentários