ÁPICE DO DISCURSO DE BOLSONARO NA ONU FOI QUANDO DENUNCIOU FORO DE SÃO PAULO

FOTO:INTERNET


O presidente Jair Bolsonaro iniciou seu discurso histórico na 74ª Assembleia Geral da ONU lembrando que o já Brasil esteve à beira do socialismo.



Ele falou de como o PT e a esquerda destruíram o país, lembrando que em 2013, um acordo entre o governo petista e a ditadura cubana trouxe ao país 10 mil médicos sem nenhuma comprovação profissional. “Foram impedidos de trazer cônjuges e filhos, tiveram 75% de seus salários confiscados pelo regime”.

Enfatizou que era um trabalho escravo, respaldado por entidades de direitos humanos do Brasil e da ONU e que antes mesmo de ele assumir o governo, quase 90% destes médicos deixaram o Brasil, por ação unilateral do regime cubano.

Disse ainda: “O socialismo está dando certo na Venezuela: todos estão pobres e sem liberdade.”

O ápice do discurso foi quando o chefe do executivo brasileiro DENUNCIOU o Foro de São Paulo: “Organização criminosa, criada em 90, por Fidel Castro, Lula e Chavez, para difundir e implementar o socialismo na América Latina, ainda continua vivo e tem que ser COMBATIDO”.

"É uma falácia dizer que a Amazônia é um patrimônio da humanidade e um equívoco, como atestam os cientistas, afirmar que a Amazônia, a nossa floresta, é o pulmão do mundo. Valendo-se dessas falácias um ou outro país, em vez de ajudar, embarcou nas mentiras da mídia e se portou de forma desrespeitosa e com espírito colonialista. Questionaram aquilo que nos é mais sagrado, a nossa soberania", disse Bolsonaro.

O presidente ainda defendeu o livre-mercado, condenou o socialismo, defendeu a soberania nacional e denunciou o indigenismo manipulador de organizações estrangeiras.

Postar um comentário

0 Comentários