'NO TRÂNSITO O QUE MAIS IMPORTA É A VIDA' CITA IBANEIS ROCHA EM ENCONTRO COM ORGANISMO DA ONU

FOTO:AG. BRASÍLIA


GDF e ONU de mãos dadas por um trânsito seguro no Distrito Federal

O governador Ibaneis Rocha se comprometeu, durante a Conferência Internacional sobre Segurança Viária, nesta quinta-feira (8), a atuar na melhoria das vias e na educação de pedestres e motoristas



O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, participou da abertura da Conferência Internacional sobre Segurança Viária, em Brasília, nesta quinta-feira (8). O evento é promovido pelo Instituto das Nações Unidas para Formação e Pesquisa (Unitar) e tem como objetivo reunir autoridades governamentais da América Latina, do setor privado e especialistas para discutir sobre práticas e estratégias que melhorem a segurança viária.

Na abertura do evento, Ibaneis Rocha destacou: “A questão da segurança viária e da vida das pessoas vai ao encontro da frase ‘No trânsito o que mais importa é a vida’”. O chefe do Executivo reforçou as ações do GDF para a segurança nas vias e dos pedestres. “Brasília se tornou referência nacional no que diz respeito à passagem nas faixas de trânsito. Vamos pintar e iluminar todas as faixas dessa cidade e entrar com uma grande campanha para valorizar a vida das pessoas no trânsito”, acrescentou o governador. Nesta quinta (8), inclusive, comemora-se o Dia Internacional do Pedestre.

Além do governador, formaram a mesa de apresentação da Conferência os secretários de Transporte e Mobilidade do DF, Valter Casimiro; de Saúde, Osnei Okumoto; e de Relações Internacionais, Pedro Luiz Rodrigues; assim como a membro do Conselho de Administração do Instituto das Nações Unidas para Formação e Pesquisa (Unitar), Deisi Kusztra; o diretor da Divisão de Pessoas da Unitar, Alex Mejia; e o diretor de relações corporativas da América Latina e Caribe da Diageo, Josafá Rodrigues.

“A ONU acredita que a segurança viária deve ser um tema prático, com ações que efetivamente melhorem a vida das pessoas. Afinal, estamos falando de mortes no trânsito. Esses elementos podem ser corrigidos e, nesses aspectos, as lideranças políticas podem fazer a diferença”, observou Deisi Kusztra, da Unitar. Para o secretário de Saúde, Osnei Okumoto, é crucial fazer intervenções buscando a segurança das pessoas nas ruas. “No Brasil, a cada uma hora nós temos cinco mortes no trânsito. É um problema sério e de saúde”, lembrou.

Valter Casimiro, por sua vez, falou que “Brasília tem feito um trabalho de valorização e segurança no trânsito” e que é referência no país. “Temos diminuído nossos índices de violência no trânsito. Em relação ao fator pedestre, no último ano, reduzimos em 18% o número de mortes”, pontuou.

Rodovias

A peculiaridade das vias de Brasília, no que diz respeito às rodovias que cruzam a cidade, foi levantada no debate pelo secretário de Relações Internacionais, Pedro Luiz Rodrigues. “Brasília é uma cidade de estradas. Você convive num sistema viário que se mistura na malha urbana. Há sempre a necessidade de as pistas estarem em condições excelentes e com boa sinalização. Posso dizer que o governo recebeu o sistema viário em frangalhos e, com muita alegria, temos visto as máquinas trabalhando”, disse.

No evento, foi assinado um Termo de Cooperação de longo prazo em prol da segurança viária. Um dos acordos estabelecidos é o treinamento de agentes do Departamento de Trânsito (Detran) e de outras agências governamentais sobre segurança viária por parte de funcionários do Unitar. Esse acordo inclui parceria com a Associação Nacional de Detrans (AND), a Organização Mundial da Família (WFO) e a empresa Diageo.

Números do DF

Dados preliminares relativos ao primeiro semestre de 2019 apontam queda de 14,2% no número de mortes no trânsito no DF em relação ao mesmo período do ano passado. De janeiro a junho deste ano, o DF registrou 144 vítimas fatais em acidentes de trânsito. No mesmo período de 2018 foram 168.

O mês de junho registrou 22 mortes no trânsito. Foi o segundo menor número para o mês desde 2000, quando teve início o levantamento, ficando atrás apenas de junho de 2018 quando ocorreram 21 mortes.

O levantamento do Detran-DF indica que, no primeiro semestre deste ano dez ciclistas morreram em acidentes de trânsito. Em comparação com o ano anterior, quando ocorreram 13 mortes, houve redução de 23%.

Programas

Dentro do GDF, programas como o Brasília Vida Segura e o Maio Amarelo constam como ações para melhorar a segurança viária. Durante o mês de maio, por exemplo, foram promovidas mais de 100 atividades de educação e fiscalização de trânsito.

No que diz respeito ao reforço da sinalização, mais de duas mil placas foram instaladas e mais de 1.200 faixas de pedestre recuperadas.

Tempo de ação

Além das campanhas e programas, o governo local trabalha com obras para dar conforto e segurança aos motoristas e pedestres. Em 2019, foi feita a revitalização de sinalização da Estrada Parque Taguatinga (EPTG), com a renovação da pintura das faixas de rolamento da pista expressa e marginais da rodovia; a revitalização da pista sobre a ponte da Barragem do Paranoá, com o recapeamento asfáltico de 630 metros em toda a extensão da pista, sinalização e limpeza de dutos de água; a construção da calçada e parada de ônibus na Pestalozzi (em parceria com o DFTrans); e a construção de um balão de acesso à Central de Abastecimento do Distrito Federal (Ceasa-DF).


Dados preliminares relativos ao primeiro semestre de 2019 apontam queda de 14,2% no número de mortes no trânsito no DF em relação ao mesmo período do ano passado. De janeiro a junho deste ano, o DF registrou 144 vítimas fatais em acidentes de trânsito. No mesmo período de 2018 foram 168

O governo também concluiu a reconstrução do pavimento sobre o viaduto da Galeria dos Estados, iniciado em 2018. Além dessas obras concluídas, estão em andamento a revitalização do Eixão, a restauração e manutenção de 56 passarelas aéreas; a restauração do pavimento asfáltico da DF-087; e a construção de três passarelas na BR-020.

Postar um comentário

0 Comentários