BRB E SEMA QUEREM PROJETOS SUSTENTÁVEIS

FOTO:ASCOM/SEMA

A Secretaria de Meio Ambiente (Sema) e o Banco Regional de Brasília (BRB) vão firmar uma parceria para buscar recursos internacionais junto ao New Development Bank (NDB) a serem investidos em projetos de desenvolvimento sustentável no Distrito Federal. 

As instituições se comprometeram em assinar um Acordo de Cooperação Técnica para formular uma carta-consulta que deve ser submetida ao NDB e a Cofiex – Ministério da Economia ainda este ano. A decisão foi tomada na tarde desta terça-feira, (27/08), em reunião entre o titular da Sema, Sarney Filho, o diretor-presidente do BRB, Paulo Henrique Costa e o diretor geral NDB, Couto Silva. O Banco é composto pelos países do BRICS (Brasil, Rússia, Índia e China e África do Sul).
A ideia é que o BRB possa ferecer linhas de financiamento a baixo custo para pessoas físicas e jurídicas, com produtos alinhados a neutralização de gases causadores do efeito estufa no DF com investimentos em soluções de mobilidade urbana de baixa emissão, fontes de energias alternativas, como a fotovoltaica. Outras opções de investimentos são em reuso de água, resíduos sólidos e soluções na linha de Cidades Inteligentes.
De acordo com Sarney Filho, há o entendimento por parte do governador Ibaneis Rocha, de que o GDF deve se esforçar para neutralizar as emissões. “Temos o compromisso de fazer isso, pelo menos no âmbito do Plano Piloto, até 2022”, explica. No Distrito Federal os maiores poluidores são a frota de veículos, cimenteiras e resíduos sólidos. “Nossa preocupação com Brasília é que é a capital do país e serve de exemplo para o Brasil inteiro. Possui representação dos três poderes e de embaixadas de dezenas de países. O seu potencial de dar bons resultados e servir de modelo para outros estados é muito grande”, disse.
Segundo o diretor-presidente do BRB, a instituição bancária está empenhada na criação de uma Política de Crédito relacionada à Sustentabilidade e poder fazer uma parceria com o NDB nesse sentido será uma ótima oportunidade de servir ao DF, como um banco público, regional e alinhado às políticas governamentais. “Vamos trabalhar com a meta de aplicar esses recursos já em 2020”, disse.
Couto Silva apresentou a carteira da instituição, também integrada pelo Brasil, e disse que para o Banco, cujas maiores operações estão concentradas na Índia e na China, é muito importante aumentar a aplicação de recursos no país. “Estamos com grande apetite para operar aqui. E começar por Brasília seria maravilhoso”, afirmou. O NDB está sediado em Shangai na China.
Participaram ainda, a subsecretaria de Assuntos Estratégicos, Alessandra Andreazzi Peres, pela Sema, o diretor de Rede e Canais, Dario Oswaldo Garcia Junior, o diretor Financeiro e de Relações com Investidores, Sergio de Jesus, o superintendente da Sudes, André Luiz Perezino, o gerente de Crédito Empresarial, Alex Dais Ribeiro, pelo BRB e, pelo NDB, a profissional de operações Raisa Leao.
Fonte: Ascom/Sema-DF

Postar um comentário

0 Comentários