90 DIAS PARA A RODOVIÁRIA FICAR PRONTA É A PREVISÃO DO GDF

foto:ascom/GDF


O custo estimado da reforma será de R$ 6 milhões.

A população do Distrito Federal que usa, diariamente, a Rodoviária do Plano Piloto, amanheceu nesta quinta-feira (27) com a notícia da interdição do local. A informação foi dada ontem pelo próprio governador Ibaneis Rocha, em coletiva de imprensa realizada no começo da noite de quarta-feira (26), no Palácio do Buriti. Ao lado dos secretários de Transporte e Mobilidade, Valter Casimiro; do diretor de Edificações da Novacap, Francisco Ramos; do secretário de Obras e Infraestrutura, Izídio Santos; do diretor-geral do DFTrans, Josias Seabra; e do diretor-geral do Detran-DF, Valmir Lemos, o chefe do Executivo explicou que a medida foi necessária após vistorias da Novacap detectarem dilatação na estrutura que dá sustentação ao piso superior do local.
“Sei do transtorno que uma medida emergencial como essa causará à vida da nossa população, mas precisamos, em primeiro lugar, pensar na segurança e na vida das pessoas que passam por ali todos os dias”, fez questão de frisar o governador durante encontro com imprensa. A previsão é de que em três meses as obras nos locais estejam concluídas. Até lá, nenhum veículo poderá atravessar a via que liga o shopping Conjunto Nacional ao Conic, no sentido Norte-Sul. 
O Governo do Distrito Federal tem se mostrado solidário com a população diante dos transtornos emergenciais surgidos, mobilizando sua estrutura para solucionar o problema o mais rápido possível. Hoje mesmo, logo nas primeiras horas do dia, o secretário de Transporte e Mobilidade, Valter Casimiro, foi ao local para acompanhar o andamento das medidas. Para o gestor, o principal problema surgido está na desinformação dos passageiros quanto às mudanças dos locais de embarque da parte superior.
foto:ascom/gdf

“Como foi uma interdição abrupta, esperávamos que nesses primeiros dias pudesse haver alguma confusão. Vamos reforçar com cartazes nas plataformas superiores a informação de que os ônibus não vão passar mais naquele local, por enquanto, mostrando para as pessoas o lugar correto para onde eles terão que seguir”, esclareceu o secretário de Transporte e Mobilidade. “Daqui para frente será tudo uma questão de readequação. Vamos permanecer com todas as nossas equipes no local para dar o melhor atendimento possível para a população e diminuir os transtornos que qualquer obra causa na cidade”, reforçou.

Postar um comentário

0 Comentários