MORADORES DA "VP"AJUDAM GABINETE DE CRISE PARA ACELERAR OBRAS EMERGENCIAIS

Veja aonde o GDF está trabalhando em Vicente Pires no mapa a baixo.


Grupos de WhatsApp devidamente organizados com a presença de pelo menos um assessor do Governo do Distrito Federal. Assim, a Administração Regional de Vicente Pires está conseguindo identificar e resolver problemas pontuais no dia a dia da população. A rede social de mensagens via celular está conseguindo reunir 3.584 moradores, em 14 comunidades bastante ativas, onde circulam diariamente centenas de opiniões, problemas e também muitos elogios.

Síndico do Condomínio Flamboyat, Samuel Monteiro, viu nesse canal uma linha direta de comunicação com o governo e não perdeu tempo. Ontem, a Rua 6 ficou sem água porque uma adutora se rompeu. “Fiz o registro na Caesb e enviei uma foto para eles e expliquei tudo. Só no nosso condomínio, 27 famílias estavam sem água. Logo, os trabalhadores chegaram e começaram os serviços. Os trabalhos seguiram por toda a madrugada de hoje. A gente vê o empenho deles e é bom saber que o governo se preocupa”, conta.

Em média, a Administração recebe 280 pedidos todos os dias. Entre as conversas, fotos de buracos, dicas de organização do trânsito, iluminação pública, pedidos de esclarecimentos sobre as obras e situações emergenciais, como o rompimento da adutora da Rua 6. “Boa parte do que estamos fazendo no gabinete de crise vem das indicações nos grupos. Estamos construindo nossos cronogramas de ações com a colaboração da comunidade”, explica o chefe de gabinete da regional, Samuel Oliveira.

Segundo ele, a maioria dos registros tem a ver com esclarecimentos sobre as obras. “Inclusive, já promovemos mais de 20 reuniões, em diversos locais, para apresentar melhor a dinâmica da obra”, afirma, ao completar que a contribuição da comunidade é importante não apenas para identificar problemas como também para planejar a solução. “Em algumas ruas, com as fotos encaminhadas pelos moradores, pudemos prever a quantidade de massa asfáltica necessária para os serviços”, lembra Oliveira.

Para dinamizar o atendimento e não deixar ninguém sem resposta, cada grupo de WhatsApp tem um representante do Governo. “Nossa orientação é responder o cidadão com até 72 horas. E a resposta tem de ser algo concreto. A data para conclusão do serviço ou o porquê de não ser possível o atendimento. Tudo com muita transparência”, explica Oliveira.

O resultado dessa comunicação franca tem sido bem avaliada pela comunidade. Entre os comunicados são comuns os registros de elogios às ações do governo e também muitos “emojis” com carinhas de satisfação, agradecimento e parabéns pela iniciativa.

Balanço de ações

As ações são coordenadas pelo Gabinete de Gestão de Crise instalado na Administração Regional de Vicente Pires na sexta-feira (3). Nesta quarta (8), o DF Legal orientou 41 estabelecimentos, 80 toneladas de materiais para tapa-buraco foram utilizados, 15 quilômetros de mato foi removido das portas dos condomínios e um quilômetro de bocas de lobo foram desobstruídas. Além disso, a força-tarefa contabilizou 20 quilômetros de alargamento e corte de via e 15 toneladas de rejeitos foram retiradas das ruas. 


Postar um comentário

0 Comentários