PREFEITO DE ÁGUAS LINDAS DEFENDE CRIAÇÃO DE CONSORCIO PARA ADM O TRANSPORTE ENTRE ENTORNO E DF

DFMOBILIDADE

Desde a última sexta-feira (15/2), os reajustes anunciados pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) no serviço semiurbano tem tirado o sono dos passageiros que utilizam esse transporte. As tarifas das linhas que ligam as cidades de Goiás ao Distrito Federal serão reajustadas em 5,23% a partir do próximo domingo (24).

Em algumas localidades, como Águas Lindas, a tarifa pode passar dos R$ 7,00. Na ligação do município com o centro de Brasília, a passagem custará R$ 7,05. O prefeito da cidade, Hildo do Candango, defende que um consórcio, administrado pelas prefeituras e o GDF, seja o responsável pela prestação do serviço de transporte entre o DF e GO. Isso evitaria, segundo o gestor, os aumentos anuais nos valores das passagens.

Em entrevista ao Jornal Opção, o prefeito, que também preside a Associação dos Municípios Adjacentes a Brasília (AMAB), menciona como dificuldade a gestão desse transporte por parte de uma agência nacional. “A questão de tarifas, aumento de passagens, criação de novas linhas, fiscalização desse transporte, tudo fica a cargo da ANTT”, explica Hildo.

Candango cita como exemplo a ligação entre Teresina (PI) e o município de Timon (MA). Esse trecho não é administrado pela ANTT, apesar de as referidas cidades ficarem em estados diferentes. “A princípio nós desenvolvemos um projeto, analisamos o interesse dos demais municípios em participar deste consórcio para um novo sistema de transporte e todos concordaram e assinaram a petição”, relata.

Hildo diz ainda que por falta de “engajamento político”, a gestão conjunta entre DF e Goiás nunca avançou. O prefeito crê que a administração compartilhada resolverá os problemas enfrentados pelos passageiros. “Esperamos que agora, com a mudança de governo, o novo governador junto com o secretário de transporte possa se sensibilizar e possamos tocar esse projeto pra frente”, afirmou.

Os benefícios, segundo o chefe do Executivo aguas lindense, seriam sentidos pelos passageiros, como redução nos valores das passagens e integração entre os modais de transporte. Com isso, o serviço seria atrativo até mesmo para as empresas prestadoras “para que estas também participem das licitações do transporte da região, criando assim um só sistema, um sistema integrado, mais acessível à região do Entorno”.




Fonte: bsb mobi

Postar um comentário

0 Comentários