CARNAVAL SEGUE SEM GRANDES OCORRÊNCIAS NO DF

DFMOBILIDADE

A Policia Civil do Distrito Federal  registrou seis ocorrências até o final da tarde deste sábado (3). Foram dois casos de embriaguez ao volante,que aguardam o pagamento de fiança; dois de lesão corporal, em que os autores foram liberados após assinarem Termo Circunstanciado; um roubo a pedestre na Asa Norte e uma ocorrência de injúria racial.

Para dar maior celeridade no atendimento, a Delegacia Móvel da PCDF está funcionando no estacionamento da Torre de TV. Qualquer ocorrência pode ser registrada no local. Há ainda um Posto Avançado de Identificação de suspeitos e um Posto Avançado do Instituto Médico Legal (IML) para atendimento em casos de lesões corporais leves.

O efetivo foi reforçado em todas as delegacias, mas principalmente na 5ª e na 1ª, onde se concentram 75% dos eventos carnavalescos.

O Corpo de Bombeiros Militar (CBMDF) atendeu a 13 pessoas alcoolizadas, que, após os devidos cuidados administrados, foram liberadas. A corporação atendeu, ainda, três vítimas de arma de corte na área central, que foram encaminhadas ao Hospital Regional da Asa Norte (HRAn). Duas vítimas de agressão foram atendidas e logo depois liberadas.

O efetivo de sábado foi de mais de 100 militares para a Operação Carnaval 2019. Somente na região do Setor Carnavalesco do Estádio Nacional, onde à tarde se concentrou o bloco Babydoll de Nylon, havia 32 bombeiros para o pronto-atendimento.

A Polícia Militar encaminhou dois menores à Delegacia da Criança e da Juventude  por estarem portando drogas. Quatro homens foram flagrados com facas. As armas foram apreendidas e os responsáveis, após assinarem Termo Circunstanciado de Ocorrência, foram liberados.

No Setor Carnavalesco do Estádio Nacional, a corporação computou a presença de 20 mil foliões até as 17h.

No Carnapati, evento realizado no Parque da Cidade, foram distribuídas 156 pulseirinhas de identificação infantil. Neste domingo (3), a emissão das pulseirinhas será feita no Baratinha, no estacionamento 12 do Parque da Cidade, das 14h às 20h.


Apoio


A corporação também está com estrutura montada no estacionamento da Torre de TV.  No local, há um ônibus de tecnologia e estratégia, que dispõe de câmera de monitoramento e filmagem com 15 metros de altura; um ônibus de apoio à comunicação com a imprensa, um ônibus de apoio para registro de ocorrências de menor potencial ofensivo e, ainda, o ônibus de gerenciamento de grise, que abriga equipes do Batalhão de Operações Especiais (Bope) para reforço, caso haja necessidade de atuação policial em casos mais graves, como o desarmamento de bombas.


Ações


Durante o evento “Na batida do morro”, no Setor Comercial Sul, houve tumulto e a PMDF precisou solicitar o desligamento do som. Um dos policiais foi atingido por uma garrafa de vidro. Ele foi socorrido e encaminhado ao Hospital de Base, onde foi colocado em observação, medicado e liberado com a recomendação de repouso. Seis armas brancas (de corte) foram recolhidas pelos policiais militares na área do show.

Ainda no sábado, o Detran-DF realizou intervenções para garantir segurança e fluidez no trânsito em seis locais: Eixo Monumental, Parque da Cidade, Águas Claras, Setor de Indústrias Gráficas, Asa Norte e Setor Bancário Norte. Para a ação, foram destinados 78 agentes, 28 viaturas operacionais e quatro motociclistas.

O estacionamento do Estádio Nacional de Brasília, que recebeu o bloco Babydoll de Nylon,  teve duas faixas de rolamento fechadas para facilitar o controle de tráfego e a travessia de pedestres. Caso haja  necessidade, poderão ser feitas interdições momentâneas na Avenida Contorno do Estádio. Existem áreas de estacionamento reservadas para táxis e espaço destinado a embarque e desembarque de transporte por aplicativo.

Metrô


No sábado (2), a Companhia do Metropolitano do DF registrou nove trens vandalizados, com quatro extintores estourados, duas janelas quebradas e sete portas danificadas. Com o objetivo de evitar depredação nos trens e nas estações, a companhia lançou a campanha “Hora de cair na folia! Só não vale quebrar o Metrô” para conscientizar os usuários sobre a necessidade de preservar o patrimônio público.

No ano passado, a empresa teve um prejuízo aproximado de R$ 50 mil, com vidros das janelas e portas dos vagões quebrados, acionamento sem necessidade do botão soco (de emergência) e de extintores de incêndio.

Uma das peças da campanha alerta que é crime o uso indevido do botão soco – dispositivo que só deve ser acionado em caso de extrema necessidade, pois a composição precisa parar para que o piloto verifique o que ocorreu.
COMPARTILHAR:

+1

0 Response to "CARNAVAL SEGUE SEM GRANDES OCORRÊNCIAS NO DF"

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial